Arquivo do autor:Leonardo Miranda

Sobre Leonardo Miranda

Professor de geografia, graduado pela Universidade Federal de Minas Gerais, mestre em geografia humana na mesma instituição. Professor de cursos preparatórios, Enem, concursos em geral.

16
ago

“MIST”, os novos BRICS?

441451_NpAdvMainFea

 

O Mist, que reúne México, Indonésia, Coreia do Sul e Turquia, cresce a olhos vistos e conquista o favor de investidores internacionais. Os mercados financeiros gostam de modas e siglas. A marca Bric -Brasil, Rússia, Índia e China- foi cunhada em 2001 pelo banco Goldman Sachs, com grande sucesso. Mas a coqueluche do momento é o Mist.

O novo acrônimo se refere a México, Indonésia, Coreia do Sul (cujo nome, em inglês, começa com “s”) e Turquia. A novidade tem substrato econômico: em 2012, até o início de agosto, os mercados acionários do Mist acumulavam uma alta de 12%, contra apenas 1,5% dos Brics (acrescida do “s” de África do Sul).

16
ago

Os 100 anos do Canal do Panamá

Ship_Providence_Bay_at_panama_canal

Há cem anos o Canal do Panamá era cruzado pela primeira vez. Essa obra de engenharia fantástica tem total relação com a Geografia. Temos que lembrar que antes de 1914, todos os navios mercantes eram obrigados a contornar a América para cruzá-la do Atlântico para o Pacífico, e vice-versa. É importante destacar que a construção do canal foi concluída pelos Estados Unidos, apesar de iniciada pela França (que já havia construído outro famoso canal, o de Suez). O fracasso dos franceses significou não só uma oportunidade comercial única para os estadunidenses, mas também uma oportunidade de reforçar a Doutrina Monroe (criada no século XIX), que baseia-se no artefato ideológico: “a América para os americanos”.

06
ago

Alter do Chão: o oceano subterrâneo na Amazônia

A Amazônia possui uma reserva de água subterrânea com volume estimado em mais de 160 trilhões de metros cúbicos, afirmaram pesquisadores durante a 66ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que terminou no dia 27 de julho de 2014, no campus da Universidade Federal do Acre (UFAC), em Rio Branco.

Amazon - Brazil, 2011. ©Neil Palmer/CIAT

Amazon – Brazil, 2011.
©Neil Palmer/CIAT

Provavelmente, trata-se do maior aquífero do mundo. O volume é 3,5 vezes maior do que o do Aquífero Guarani – depósito de água doce subterrânea que abrange os territórios do Uruguai, da Argentina, do Paraguai e principalmente do Brasil, com 1,2 milhão de quilômetros quadrados (km2) de extensão.

03
ago

2014, ano de El Niño?

Fala, galera!!

el-nino

Tudo indica que sim! Essa semana expliquei em algumas das minhas turmas o fenômeno El Niño, que basicamente está ligado ao aquecimento anormal das águas do Oceano Pacífico equatorial. Essa mudança térmica acaba por  bipartir a circulação de ventos que existe entre a costa oeste da América do Sul, e a costa leste da Ásia e Oceania. Entre as principais consequências do El Niño, estão o agravamento da seca sertaneja e a redução do volume de chuvas na Amazônia Oriental. Abaixo, dois vídeos bem interessantes sobre o assunto!