Arquivos da categoria: Geografia Física

03
abr

Cratera na África pode confirmar teoria da divisão do continente em dois

As discussões na comunidade científica sobre a forma como o continente africano se divide em dois continentes foram reavivadas depois de, no dia 19 de março, ter aparecido no Quênia uma gigantesca fissura, que rasgou ao meio um vale e cortou uma estrada importante da região do Narok, no oeste do país.

A enorme fissura, com vários quilômetros de comprimento, tem cerca de 15 metros de profundidade e mais de 20 de largura, mas não é o primeiro fenômeno desse tipo que se manifesta no continente africano. Há dezenas ou centenas de pontos fracos ao longo do chamado Grande Vale de Rift, que atravessa o continente do Chifre da África, na Somália, até Moçambique.

A formação, também conhecida como Vale da Grande Fenda, é um complexo de falhas tectônicas criado há cerca de 35 milhões de anos com a separação das placas tectônicas africana e arábica, e se estende por cerca de 5 mil km no sentido norte-sul, com largura que varia entre 30 e 100 km e uma profundidade de centenas a milhares de metros. Continue lendo

18
jul

Iceberg gigante se desprende da Antártica

Cientistas acompanham de perto deslocamento de um dos maiores blocos de gelo a se desprender do continente gelado.

O iceberg gigante que se desprendeu na Antártica na última semana continua se deslocando para o mar aberto. Imagens de satélite mostram uma fenda entre o bloco de gelo de seis mil quilômetros quadrados, batizado de A-68, e a plataforma gelada Larsen C.
O satélite Deimos-1 capturou a imagem na sexta-feira (14), o que não é fácil nesta época do ano na Antártica, por causa de suas longas noites de inverno cobertas de nuvens. A espaçonave que conseguiu avistar o iceberg usou radares e sensores infravermelhos para superar essa limitação. Continue lendo

06
jun

Fenda faz ‘curva’ e torna iminente descolamento de iceberg gigantesco da Antártica

Faltam apenas 13 km para bloco de gelo do tamanho do Distrito Federal se desprenda completamente, afirmam cientistas.

A enorme rachadura na plataforma de gelo Larsen C, na Antártica, que pode gerar um dos dez maiores icebergs do mundo, mudou radicalmente de direção.

Continue lendo

05
maio

Planeta ultrapassa marca de 410 ppm de CO2 na atmosfera

Com 410 partes por milhão (ppm) o nível de concentração de dióxido de carbono é o mais alto em milhões de anos.

Por ONE2030

O Observatório Mauna Loa, situado em uma das ilhas do Havaí, registrou que o dióxido de carbono na atmosfera terrestre alcançou um índice maior que 410 partes por milhão (ppm) na semana passada. Segundo cientistas, já se passaram milhões de anos desde que o planeta atingiu números parecidos. Segundo eles, esta será uma nova atmosfera que a humanidade terá que lidar, cada vez mais quente.

Ppm é a medida de concentração usada quando as soluções são muito diluídas. Dizer que atingirmos 410 ppm de CO2 significa que em cada milhão de moléculas de ar no planeta há 410 do principal gás de efeito estufa. Continue lendo