Arquivos da categoria: Geografia Humana

14
jun

Entenda o que é o ANTROPOCENO

Antropoceno

 

No final de abril, um grupo internacional formado por geólogos, arqueólogos, geoquímicos, oceanógrafos e paleontólogos participou de um encontro em Oslo, na Noruega. O objetivo inicial da reunião, que fez sentar à mesma mesa pesquisadores de áreas tão distintas, era consolidar uma proposta a ser apresentada em agosto na África do Sul para marcar o início do processo de reconhecimento oficial de que a Terra vive uma nova época geológica: o Antropoceno, a era dos seres humanos.

Continue lendo

10
maio

Crianças passam menos tempo ao ar livre que presos

Crianças presas em casa

Participaram da pesquisa mais de 12 mil pais de crianças entre 05 e 12 anos.

56% das crianças passam uma hora ou menos brincando ao ar livre por dia.

 

A infância mudou e com isso os hábitos de pais e filhos também. Uma pesquisa encomendada pela marca OMO pesquisou a rotina de 12 mil famílias em dez países. O resultado: 56% das crianças passam uma hora ou menos brincando ao ar livre por dia. Isso é menos do que o tempo livre disponibilizado a muitos presidiários em cadeias de segurança máxima.

A descoberta foi tão intrigante que o criativo britânico Ken Robinson, junto com o Dr. Stuart Brown, foram até um presídio registrar o que os detentos acham disso. O vídeo deu origem à campanha “Liberte as crianças”.

Diariamente os presidiários da Prisão de Segurança Máxima de Wabash, em Indiana, EUA, são liberados de suas celas para passarem duas horas ao ar-livre. Neste tempo eles podem se exercitar, descansar ou simplesmente aproveitar o sol.

Quando indagados sobre a importância disso, os detentos disseram que o tempo é essencial para que eles consigam manter a mente sã. Eles e os funcionários da cadeia também foram questionados sobre o que aconteceria se esse tempo livre fosse reduzido para uma hora, ao que todos consideraram um possível desastre, que geraria raiva e torturaria os presidiários.

A surpresa no rosto deles veio quando o documentarista disse que esse é o tempo que a maior parte das crianças passa ao ar livre, mesmo quando elas têm muito mais oportunidades para aproveitar o mundo fora das quatro paredes. “Uau, isso é realmente depressivo”, disse um dos detentos.

A campanha, então, motiva pais, educadores e governos a libertarem as crianças, para que elas passem menos tempo presas às telas dos eletrônicos e aproveitem a infância livres.

O estudo

O estudo usado como base na campanha foi conduzido por Edelman Berland, agência independente de pesquisa de marketing, entre fevereiro e março de 2016 nos EUA, Brasil, Reino Unido, Turquia, Portugal, África do Sul, Vietnã, China, Indonésia e Índia

O resultado

Participaram da pesquisa mais de 12 mil pais de crianças entre 05 e 12 anos. Segundo a pesquisa, nos dez países participantes, 56% das crianças passa uma hora ou menos brincando ao ar livre. Uma em cada cinco crianças passa 30 minutos ou menos ao ar livre; e uma em cada dez nunca brinca ao ar livre. Em todos os países pesquisados, as crianças passam 50% a mais do seu tempo brincando em frente às telas dos eletrônicos do que ao ar livre.

Artigo – Redação CicloVivo ( todos os créditos devidos)

05
maio

Brasileiros descobrem bactéria que reduz capacidade do Aedes de transmitir zika

zikajpg_610x340

Pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz chegaram à conclusão após testes com 160 mosquitos. Os cientistas notaram que nenhum mosquito com o micro-organismo se infectou com zika. Já 85% dos que receberam saliva de Aedes sem a bactéria foram contaminados.

Uma bactéria presente em 60% das espécies de insetos reduz fortemente a capacidade do mosquito ‘Aedes aegypti’ de transmitir o vírus zika, o que poderia ajudar a combater a epidemia, afirmaram nesta quarta-feira pesquisadores brasileiros.

Os cientistas da Fundação Oswaldo Cruz inseriram a bactéria Wolbachia em ovos de “Aedes aegypti”, no âmbito do programa de eliminação da dengue, segundo o estudo, publicado na revista científica americana Cell Host and Microbe.A bactéria não só encurtou a vida desses mosquitos, como era esperado, mas também reduziu a multiplicação do vírus da dengue, da zika e da chicungunha. Esses três vírus pertencem à mesma família e são transmitidos pelo “Aedes aegypti”.

Continue lendo

02
fev

Quando migrar é vontade. Quando migrar é preciso.

 

Captura de Tela 2016-02-02 às 20.41.38

Disponível em: http://noticias.uol.com.br/album/2015/04/20/crise-de-imigracao-na-europa.htm#fotoNav=308

Por Guilherme Vilela, professor de Geografia da Rede Chromos de Ensino

Deixar o seu lugar de moradia, especialmente quando é também seu local de nascimento, não é uma decisão fácil. A relação dos grupos humanos com o espaço, sobretudo após a sedentarização das sociedades, ficou cada vez mais estreita. À medida que o homem modificava o espaço, este também se mostrou responsável por inserir no sujeito características do lugar que ocupa. Assim, a relação sociedade-meio é um forte elo entre as duas partes.

Deixar para trás toda uma história construída em determinado território, distanciar-se de amigos e entes queridos é uma realidade que se observa em vários países do mundo, principalmente naqueles em que as condições de vida são precárias ou vivem situações de instabilidade, ocasionadas por conflitos ou catástrofes naturais.

Estas duas situações originam os principais tipos de movimentos migratórios. De um lado os MIGRANTES VOLUNTÁRIOS (aqueles que buscam melhores condições de vida), do outro, os MIGRANTES FORÇADOS -REFUGIADOS- (aqueles que se deslocam para fugir de conflitos ou quando são atingidos por grandes catástrofes naturais).

Continue lendo