14
jun

Cinegeo!

omenino

Por Daniela Matos Rezende, colaboradora do Mundo Geográfico.

Em meio a um mundo de cadernos e livros é sempre bom incrementar os estudos com um pouco de cinema. Mas hoje o filme indicado não será de origem hollywoodiana e muito menos futurística. Hoje é dia de mostrar que a geografia é a matéria que ajuda a entender o mundo com toda a sua complexidade e mais que isso, também pode ser demonstrada aos olhos de uma criança.

O filme de que falo é  “O menino e o mundo”, uma animação brasileira dirigida por Alê Abreu e vencedora do Prêmio Cristal de melhor longa metragem na França. Diversos temas que são sempre protagonistas da prova do ENEM e de outros vestibulares são abordados pelo longa. Sem falas, legendas e com uma estética extremamente infantil ele pode ser o impulso que você precisa nos estudos de ciências humanas.

Temas abordados no filme:

  • ÊXODO RURAL      

O filme conta a história de uma criança que vive no campo com seus pais. No entanto, logo no início ela passa por uma situação que é responsável por marcar todo a sua vida: seu pai parte em busca de melhores condições sociais.

1

Assim como retratado no filme, o êxodo rural (abandono do campo por melhores condições de vida) era um dos destinos de grande parte da população do Nordeste brasileiro, principalmente. O índice de migrações campo-cidade foi maior nas décadas de 1960 e 1980 e teve como alguns de seus motivos a urbanização das médias e grandes cidades (que gerou grande oferta de empregos nas fábricas) e a mecanização da atividade agrícola (que fez diversos trabalhadores migrarem em busca de novas formas de sustento). Esse fenômeno é também o responsável por ocasionar o crescimento desordenado das cidades, levando ao inchaço urbano e às péssimas condições de infraestrutura.

  • EXPLORAÇÃO DA MÃO DE OBRA AGRÍCOLA 

Ao migrar, muitos agricultores conseguiam em cidades vizinhas empregos em atividades como a colheita, que não necessitavam de qualificação. Nesses locais, muitas vezes, o empregado era extremamente explorado e sofria até a escravidão por dívida. Infelizmente, essa realidade ainda não foi totalmente erradicada no Brasil.

2

No filme, o menino foge na tentativa de reencontrar seu pai e acaba visitando essa e outras passagens da história brasileira durante percurso até a cidade.

  • DESIGUALDADE SOCIAL

O grande paradoxo do meio urbano está presente não só no filme, mas também no dia a dia das cidades contemporâneas. De um lado, as indústrias que geram a todo o momento bens duráveis e não duráveis e estimulam a atividade comercial. Do outro, uma população marginalizada que sofre com a escassez de emprego e a fome.

4

  • CRESCIMENTO DAS COMUNIDADES (“FAVELIZAÇÃO”)

 Uma das consequências diretas da urbanização é o fenômeno da favelização. Isso ocorre porque o aumento desenfreado da população urbana faz com que as cidades (totalmente despreparadas para atender a esse contingente) não possam oferecer a devida infraestrutura a todos. Por isso, essas pessoas passam a viver em periferias. O número de habitantes de comunidades no Brasil é superior a 28% e deve aumentar nos próximos anos.

5

  • A POLUIÇÃO NAS CIDADES

O excesso de lixo gerado pelo consumismo desenfreado e os gases poluentes lançados pelas máquinas à atmosfera constroem um dos cenários mais impactantes do filme. Além disso, a influência capitalista na vida das pessoas e as dificuldades passadas por vendedores e artistas ambulantes também são retratadas na história.

6 Que tal assistir a animação e compartilhar conosco suas percepções? Além de oferecer conhecimento esse filme pode emocionar e instigar novas visões de mundo. E perceber o mundo em aspectos diversificados não é nada mais, nada menos que GEOGRAFAR!

 

Deixe uma resposta