23
jun

Os países da FIFA e os países da ONU

Fifa

  Um dos assuntos mais comentados nos meses que antecederam a Copa do Mundo no Brasil foi  o poderio econômico, bem como a ingerência da Fédération Internationale de Football Association ou FIFA nas ações estatais no sentido de permitir que a Copa ocorresse.  Essa organização foi criada em 1904 em uma iniciativa de algumas nações europeias. “Os membros fundadores da FIFA — França, Bélgica, Dinamarca, Holanda, Espanha, Suécia e Suíça— estão todos representados na Union Française de Sports Athlétiques em Paris, embora sem a presença da Federação Inglesa de Futebol, como originalmente era esperado. Surgem os primeiros Estatutos da FIFA, e cada federação nacional é obrigada a pagar uma taxa anual de associação de 50 francos.”  Extraído do site oficial da FIFA. http://pt.fifa.com/aboutfifa/organisation/index.html A entidade está organizada em confederações (Conmebol, Concacaf, etc.) e federações (AFA,CBF, ect.). Curioso é que atualmente a FIFA possui 209 membros, 16 a mais do a Organização das Nações Unidas, a ONU. É preciso destacar que não podemos comparar a FIFA e a ONU. A primeira, trata-se de uma pessoa  jurídica de direito privado, ligada ao futebol, enquanto a ONU, é uma  pessoa Jurídica de direito público externo, criada em 1945 com o objetivo garantir a paz e segurança mundial. A maiorias daquelas federações da FIFA, que não estão presentes na ONU ou são regiões autônomas de nações membros (a exemplo de Macau, na China e Samoa, Guam, Ilhas Virgens Americanas, Porto Rico, no caso dos Estados Unidos), ou não são reconhecidas como Estados-Nação independentes. Chama atenção o caso da Palestina e mais recentemente Kosovo.  No primeiro caso, a ONU atribuiu recentemente o status de “estado observador não membro”, o que não significa que a Palestina seja reconhecida como  um país.  Apesar de não ser ainda uma federação reconhecida oficialmente pela FIFA, Kosovo, território localizado ao sul da Sérvia (Sul da Europa), que declarou independência em 2008, tem recebido apoio da entidade máxima do futebol para a organização de uma liga local. Os sérvios, bem como os russos  (entre outros países, como o Brasil) não reconheceram a independência dos kosovares, que culturalmente são muito diferentes dos sérvios, a começar pelo aspecto religioso (em Kosovo, há o predomínio do islamismo). Em um amistoso recentemente apoiado pela FIFA na região autônoma, vários incidentes de violência foram presenciados, mesmo com a proibição do uso de bandeiras e uniformes descaracterizados.  Outro caso curioso é o dos irmãos jogadores Taulant e Granit Xhaka: “Mesmos pais, mesmo sobrenome, mesmo local de nascimento, mesma fuga de guerra. Jogadores profissionais de futebol, os irmãos Taulant e Granit Xhaka viverão situações diferentes durante a Copa do Mundo: um vai jogá-la pela Suíça, o outro, no máximo, estará no Brasil para assistir aos jogos como espectador. Declaradamente, os irmãos prefeririam defender, juntos, seu país de origem e brigar por um lugar no Mundial, mas não podem. Pelo menos por enquanto. E tudo por um detalhe político: a Fifa não reconhece a independência de Kosovo. Logo, a nação não tem como disputar jogos oficiais, incluindo-se aí as eliminatórias europeias.” http://esportes.br.msn.com Um forte abraço, Léo!!

2 ideias sobre “Os países da FIFA e os países da ONU

  1. Matheus Lacerda

    Muito boa a matéria, Léo. Estou fazendo meu projeto de monografia que envolve o futebol com um papel institucional em uma tentativa de apaziguar o conflito Israel-Palestina utilizando de organizações internacionais principalmente como a ONU e como a FIFA. Todo material como este é bem-vindo!

Deixe uma resposta